sábado, 17 de fevereiro de 2018

Dentro da concha




Dentro da concha tinha um mar,
um mar que cantava,
assobiava, enternecia,
fazia a imaginação voar,
flutuar,
contar ondas, 
molhar os pés,
mergulhar,
apaixonar.
Dentro da concha tinha um mar.




terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Da insônia voluntária



Quatro ou cinco janelas acesas
insistem em não ceder.
Há lutas que não dormem.
Há guerreiros que não morrem.



Haikai imperdoável




Nada importa, sequer a alienação
-- se o imperdoável
é a sombra eterna da omissão



quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Orbitais




Satélites palavras
Órbitas, elipses
A vida, larvas
A morte eclipse
Dignidade indigna
Óbices, artifícios
Etéreo paradigma
Os poderes pífios



sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Do absurdo




Cenários além do palco.
Protagonistas sem papéis.
Bilheterias de mil-réis.
O drama das mil farsas.
Faces maquiadas de poder.
No proscênio vivem conflitos. 
Detritos sem indulgência.
Onde era arte, obra o deslize.
O teto deságua.
As paredes desfalecem.
O prédio esfarela.
O pano não cai.




sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Urbi et orbi




na surdina,
passou pela porta.
na surdina,
a luz apagada.
na surdina, 
dedilhou a chave.
na surdina, 
ganhou a rua.
na surdina,
a garra do lobo sob a luva.
na surdina,
o instinto sangrou a cidade.
na surdina, 
ganhou o mundo.



segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Ecos




Pai é uma palavra que ecoa.
Pai é palavra que evoca.
Pai é uma palavra que convoca.
Pai. 
Assim é. 
Uma palavra tão boa 
que convoca, 
que evoca, 
que ecoa...