segunda-feira, 14 de julho de 2008

Errada...


Não fossem os faróis a se aproximar
Poderia jurar
Que o mundo abriu mão do movimento
Eu só lamento
Tamanha e triste escuridão
Então
Banhada em mentiras e incertezas
Clarezas
De quem da vida abriu mão
Senão
Por outro motivo que não a farsa
Disfarça
Finge que nem é contigo
Não brigo
Apenas penetro quieto e me jogo
Me afogo
Na tua morte malfadada

Errada...

Nenhum comentário: