quarta-feira, 30 de julho de 2008

Sampa




Vejo São Paulo por todos os lados

Por todos os ângulos

Pelas retas

Pelas curvas

Pelos cantos

Côncavos

Convexos

Vejo São Paulo por todos os sexos

Feminina metrópole

Masculino espaço

Vejo São Paulo por todos os traços

...


Me vejo em São Paulo por todos meus passos...



terça-feira, 29 de julho de 2008

POA...

Porto Alegre mesmo com chuva.
Aprendo coisas gaúchas.
Quintana morou aqui no Majestic. Aqui, ao lado.
Conheci Quintana há tempos atrás. Um poeta na imagem, no carinho, na boina.
Heresia querer brincar de poeta ao lembrar Quintana.
Mas da heresia à poesia é uma rima.
Prima. Primas entre si. Como certos números.
Porto Alegre mesmo com chuva.
Em cada poça, reflexo, reflexão.
Porto Alegre mesmo com chuva.
Parto alegre: São Paulo ainda hoje.
Se Deus quiser, com garoa...

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Grafite


Nasceu olho,
virou peixe.
Nadou até a parede
e parou,
ponto e vírgula.

Então, pipa,
voou até as reticências das nuvens.

quarta-feira, 23 de julho de 2008


A vida toma rumos que não combinam com a gente.
Por isso, às vezes, transgredir é tão bom.
É o protesto gritante contra a soberania e a soberba do destino.

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Mais um haikai





furtivo ou furtado
no meio da tarde
beijo um beijo roubado

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Rupturas




Por quem me tomas?
Por quem tu choras?
Por que me tocas?
Por que tu partes?
Por que me aturas?


Rupturas...


terça-feira, 15 de julho de 2008

As cartas

Ouros
Copas
Paus
Espadas

Enquanto teu coração joga comigo
Eu sozinho brinco de paciência...

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Errada...


Não fossem os faróis a se aproximar
Poderia jurar
Que o mundo abriu mão do movimento
Eu só lamento
Tamanha e triste escuridão
Então
Banhada em mentiras e incertezas
Clarezas
De quem da vida abriu mão
Senão
Por outro motivo que não a farsa
Disfarça
Finge que nem é contigo
Não brigo
Apenas penetro quieto e me jogo
Me afogo
Na tua morte malfadada

Errada...

domingo, 13 de julho de 2008

sábado, 12 de julho de 2008

Objetivo



... e no diálogo de São Jorge com o Dragão, pergunta o Santo – “O que, afinal, pretendes?” ao que o fantástico animal responde: “Santificar-te”.

quinta-feira, 10 de julho de 2008

+ 3 haikais


...


noturno ensaio
a mão desliza
o frio desmaio



a úmida gota
doce ácido acre
teu sabor esgota



estrelinhas...
e um poema
de três linhas



...

quarta-feira, 9 de julho de 2008

Imagens


Uma imagem vale mais que mil palavras

Uma imagem vale mais que mil

Uma imagem vale mais que

Uma imagem vale mais

Uma imagem vale

Uma imagem

Uma


A natureza tem olhos de verdade

A natureza tem olhos na verdade

Que nem as amarras,nem as grades,

nem as mentiras abalam


Os olhos da natureza encaram

Os olhas da natureza imploram

Os olhos da natureza exalam

Verdade por todos os poros


E nesses vãos e desvarios

E nesses vôos e desavisos

Os olhos da natureza alertam

As amarras que a verdade ignora


Quantos olhos ainda terei que chorar?

terça-feira, 8 de julho de 2008

Uns poucos fios



Dores, as tive

Ainda assim, vivo, mantive

Alguns fios de esperança

Alguns fios de cabelos...


Procuras, procurei

Quando encontrei, perdi, recuperar tentei

Alguns fios de cabelos

Alguns fios de esperanças...


Assim teço minhas histórias

Assim perdi minhas glórias (em falsas rimas)

Alguns fios de esperança...

Alguns fios de cabelos...


domingo, 6 de julho de 2008

Três haikais, versos curtos, originais




entrelinhas
entre as tuas pernas
e as minhas


a boca beija
o tátil toque
a vida enseja


flor aberta
gineceu
a flora incerta

No princípio era o começo...

Quantas vezes começar.
Primeiro passo.
Primário.
Partida.
Início.
Ponto zero.
Pontapé inicial.
Começo.
Estréia.
Lançamento.
Largada.

A lista vai longe.

Faz tempo que eu queria ter um blog.

Hoje eu tenho.

O dia é hoje.

Bom dia.
Bons dias...