sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Reflexos



espalho
espelhos
pelas celas
espelho
espaços
pelos céus
explico:
seus passos
meus véus


quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Haikai



noturno ensaio


a mão desliza


o frio desmaio





quarta-feira, 13 de agosto de 2008




De cor e sabor
a manhã
é rósea e acre


Não se sabe bem ao certo
onde o sol nasce


Não se diferenciam
o sal
o doce
o mel
o ácido
o sol


Em cor e sabor
a manhã
é una e uma


Não se conhecem os sentidos
as direções
as emoções


Não se espreguiçam
os corpos
apenas retos
apenas ritos


Por cor e por sabor
a manhã
é sonho desperto


Não se conhecem os dias
não se dedicam os poemas
não se aprendem as lições
mas a manhã tem cor e tem sabor.


segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Urbe et Orbi


Às vezes não sei exatamente onde estou. Sei que são cidades. Sei que são espaços. Sei que não é o meu lugar. Não sou evidente. Não sou claro. Não sou certo. Às vezes fico sem saber qual lugar ocupo. Não sei se ocupo lugar no espaço. Nem bem sei se sou...