segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

RUAS DE SÃO PAULO

(Caderno de poezias)




Ruas de São Paulo


Ruas que me levam


Ruas que me trazam


Ruas que me lembram


Ruas de rezar


Ruas de pecar


Ruas de andar


Ruas de parar


Ruas sombreadas


Ruas assombradas


Ruas de memórias


Ruas de história


Ruas íngrimes


Ruas planas


Ruas plenas


Ruas circulares


Ruas sem saída


Ruas interrompidas


Ruas alargadas


Ruas alagadas


Ruas vivas


Ruas vazias


Ruas anônimas


Ruas famosas


Ruas comerciais


Ruas de lazer


Ruas de comer


Ruas de beber


Ruas animadas


Ruas calmas


Ruas floridas


Ruas cinzentas


Ruas lisas


Ruas enrugadas


Ruas políticas


Ruas artísticas


Ruas executivas


Ruas generais


Ruas sem patentes


Ruas imorais


Ruas indecentes


Ruas liberais


Ruas liberadas


Ruas imortais


Ruas amadas...
 
 
.

4 comentários:

Renata Diniz disse...

E assim segue a vida relativizada, inclusive, pelo ponto de vista. Abraços.

TILIDA disse...

Ruas só não há?

Batom e poesias disse...

Atravessou?

:)

bj
Rossana

Kátia Nascimento disse...

Olá poeta!!
Natal é o nascimento de Cristo. Ano Novo é o nascimento de uma nova esperança. Então vamos comemorar!! Tenha um Natal feliz da melhor forma possível, ok? Beijos!!! #pazamoresaúde
Beijooos!!