terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Silêncios

Caderno de poezias





Às vezes escrevo,
outras, extirpo.
Todas, renasço.
Algumas, revivo.
Às vezes escravo,
outras, liberto.
Faço do poema
meu melhor grito
de liberdade.




.

6 comentários:

Única e Exclusiva disse...

Minha liberdade é o meu caminho!

bjs ;) gosto de silêncios!

Curiosa disse...

lindas palavras ...
escrever é tudo isso ...
adorei também as suas palavras no perfil: 'um homem absolutamente normal' ... o que seria normal? rsrsrs ... rsrsrs ....
bjim

Batom e poesias disse...

Queria fazer da liberdade, meu melhor poema...

Lindo!
bjs

Phoenix disse...

e para quê escrever, se não for para libertarmos a nossa alma de todos estes pesos?
*****

Curiosa disse...

Lindo poema, Jorge, querido ...

Curiosa disse...

ah, ja tinha dito isso? pois reforço novamente ,,, está lindo mesmo ...
bjinhos