segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Apocalipse

Caderno de poezias

De tanto escrever
aos loucos
Perdi, aos poucos,
O senso de mim.

Hoje, não penso

– e se penso,
apenas penso no fim.




sábado, 28 de agosto de 2010

Dedos




Caderno de poezias

O crime imperfeito.
Cortaram-se os dedos
para não deixar digitais.

Mas deixaram o sangue
deixaram a vida
deixaram muito mais.

Na memória fria de um delito
deixaram gravado
o último grito.

Não havia digitais.
Havia - houve - e haverá
muito mais...

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Frio




Caderno de Poezias

Quem me visita
entra pela janela
e corre pelo corredor.


Arrepia,
arredia,
escapa,
esvai.

Se era a morte, se foi.
Se era a vida, se vai...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ímpares



Caderno de poezias


Os dias da semana,
meus números de sorte,
os dedos da mão,
a cruz ou a espada.

Bastam dois ímpares
para somar
um par...


.

domingo, 15 de agosto de 2010

Das cegas.


Caderno de Poezias



Eu tenho medo da cegueira.
Das cegas que vivo.
Das cegas que a luz provoca.
A grande luz que me provoca.
Eu tenho medo da cegueira que me obriga a tatear.
Então, meu medo fica na ponta dos meus dedos.
Meus dedos encontram meus medos.
Eu tenho medo da cegueira e tenho medo de tatear.
Às cegas vivo, aos toques respondo.
Eu tenho medo das minhas respostas.
Das respostas irresponsáveis.
Das respostas inconsequentes.
Eu tenho medo das respostas que ecoam
na claridade a me cegar.
Eu toco a verdade.
Ela foge.
Eu toco a história.
Ela mente.
Eu toco a superfície e toco as profundezas.
Eu busco e tenho medo.
Meus dedos descobrem o véu.
Mais claridade. Maior luz. Clarões.
Eu tenho medo da luz.
Eu tenho medo da cegueira.
Eu tenho medo da verdade.
Pouco me resta.
Tateio.
Tateio.
Tateio...


.


Reticëncias e exclamações


Caderno de poezias

... Partiu, singelo
como quem rompe
o último elo...

...Voltou desesperado
para explicar sua saída...
Mistério !!


(Nota do Miltextos: fenômeno dos tempos modernos, caiu na rede é poema. Minha poesia cresceu com o comentário da Kátia. O que prova que, em tempos de interatividade, não basta poetar, tem que participar. Obrigado, poeta.)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Reticências



... partiu, singelo

como quem rompe

o último elo...


.

.

.

sábado, 7 de agosto de 2010

Elogio à (minha) loucura




Caderno de poezias

Elogio à (minha) loucura

Eu sou um louco insone.
Um louco que não dorme.
Um louco acordado.
Um louco vívido.
Um louco vivido.
Um louco varrido.
Eu sou um louco insone.
Um louco insone e impune.
Eu sou um louco impune.
Inimputável.
Se assim as putas me permitem.
Eu sou um louco puto.
Eu sou um puta louco.
Louco por mim mesmo.
Eu sou um narciso louco.
Eu não preciso de parâmetros.
Nem de quebrar paradigmas.
Eu sou um louco apenas.
Apenas um louco que detesta chavões.
Eu sou um louco ativo.
Criativo e passivo.
Tão louco que preciso dizer:
eu sou um louco amante.
Arranco a loucura da loucura.
Eu sou um louco amável.
Amavelmente maluco.
Eu sou um louco bondoso.
Generoso. Sensível. Amigo.
Eu sou um louco de confiança.
Pode confiar, eu sou louco.
Louco por verdades e meias.
Louco por pés.
Louco por umidades e securas.
Louco de pedra.
Louco de palavra.
Eu sou um louco intestino.
Louco íntimo.
Louco interno.
Louco, desço ao inferno.
No fundo, sou louco no inferno.
Subo aos céus.
Eu sou um balão.
Ou louco balão.
Um balão desgovernado.
Eu sou um louco avoado.
Voador. Alado.
Ícaro.
Eu sou um louco lendário.
Um louco imaginário.
Um louco dramático.
Eu sou um louco dramático.
Um louco poético.
Um louco romântico.
Sou louco por romances.
Eu sou um louco lírico.
Sou um louco empírico.
Pirado em espiral.
Eu vivo a espiral da loucura.
Entro louco e giro,
Giro, giro, giro sem fim,
Um anjo louco.
Louco serafim.
Eu sou um louco de herança.
Louco pelo destino.
Eu fui um louco menino.
Doces ou travessuras?
Eu sou dono das minhas loucuras.
Sou louco pela minha amargura.
Sou louco pela minha doçura.
Um louco eterno.
Um louco enfermo.
Um louco doce.
Um louco criança.
Eu sou louco e vivo
como uma doce vingança.
Eu sou louco de esperança...

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

dúvidas e dívidas




dívidas
contas a pagar
contas a receber
contas a ajustar
contas a contar

dúvidas
perguntas a fazer
perguntas a responder
perguntas a pensar
perguntas a perguntar

dúvidas e dívidas
quanto pagar-se-á pelos pecados a pecar?

dívidas e dúvidas
quanto ao ajuste das contas custará nossa consciência?



quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Regressão


Caderno de poezias



Aprendi com alguma dor
A não dizer o que sinto
Agora, respiro fundo... e minto