sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Pontos sensíveis


Caderno de poezias




Da cegueira

Eram apenas meus olhos,
E a dor de não enxergar a luz.
Eram apenas tristes,
De uma felicidade impertinente.
Eram apenas o escuro,
Filtrado pela teimosia do viver.





Da conjuntivite

Lágrimas purulentas e plurais
Secaram doentes
Tornaram feto o que fora sexo
Borraram a maquiagem
Cravaram estacas
E silenciosamente brotaram como dores.





Da insônia

Eram contos de terror em noite de lua cheia,
Eram mistérios, eram pesadelos,
Eram histórias mal contadas,
Eram dores inexistentes,
Até que acordei e percebi
Que não dormira nada.






Pontos sensíveis

Da cegueira
Da conjuntivite
Da insônia
Eram as dores
As dores
Dores.


.

Um comentário:

***MissUniversoPróprio*** disse...

As dores que tiram o sono e adoecem corpo e alma.

Obrigada pela visita e pelo poema dedicado! É uma honra! ;)

=***