segunda-feira, 2 de julho de 2012

da loucura



a cegueira em si não se bastou
mortos olhos e escuridão
cercados de medos por todos os lados
ilhas, arquipélagos 
na forma de homens e mulheres 
aos trapos
maus tratos
desesperanças
destemperos
tremem as mãos
os dedos inseguros dóem castigos 
tentam agarrar o nada
e o nada escorre
e o nada escárnio riso gargalhada
e o nada silêncio 
silencia o grito rouco
de tom louco
de tez gélida e dura
como a boca aberta em sangue
da virgem louca loucura



Nenhum comentário: