quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Paciência




a morte vive na porta de casa
tem a chave e não abre
espreita espera esconde
a sua verdadeira intenção

a morte vive na porta da casa
e a fechadura não a inibe
guarda o medo de morrer
com o trinco passado às pressas
guarda entreaberta e observa
o desejo do mistério

a morte vive na porta da casa
e da porta para dentro
a vida em estágio incerto
sábia, aguarda a porta se abrir...

a vida é paciente.

Nenhum comentário: