quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Saudade



Um relógio de sol sorri o tempo sem sombras:

domingo com macarrão e tubaína.

Uma cidade inteira a deslindar,

a vila mundo adentro.

Uma história sem quadrinhos,

heróis ou vilões -- a história

de todos nós.

Um bom motivo para estar vivo,

algumas razòes para ser.

Um sonho, uma verdade,

quantas buscas...

Um brincar com as palavras,

quebra-cabeças.

Uma vontade no paletó,

a gravata e o nó.

Um forte cheio de gás,

uma lamparina.

Uma moldura sem quadro,

um quadro sem figura.

Um cavaleiro andante,

uma dulcinéia na luta,

um escudeiro sem escudo.

Um perfume toma o ar,

um simples aperto de mão,

a impressão daquela presença.

Uma ausência.

Uma saudade.

Uma latência.

Um relógio de sol sem tempo

e vão-se embora

o domingo, o macarrão,

a tubaína...

 

Nenhum comentário: