terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

vidas




pelos ancestrais
pelos presentes
pelos ausentes
pelos eternos
tantas vidas
tantos vivos
tantos idos
tantas idas
são pessoas
personagens
criaturas
memoráveis
uns felizes
outros sisudos
alguns tímidos
algumas atrizes
dramáticos
cômicos
fáticos
mágicos
uns mais fortes
outros menos
uns com norte
outros sem 
gente de todo tipo
gente de todo lado
gente, gente
gente como a gente
que fala
que chora
que anda
que ora
que geme
que treme
que chama
que clama
gente que age
gente que pensa
gente que faz
e que acontece
vidas doces
vidas inteiras
vidas íntegras
vidas verdadeiras
anônimas
anêmicas
criativas
conservadoras
adjetivas
substantivas
substanciais
circunstanciais
poéticas
reais
lindas
e
findas
vidas...




quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

barco




disparo a proa pelo mar
rasgo a água
invado o espaço
vela
rompantes
a quantos, a tantos nós
cavalgo marinhas criaturas
monto monstros oceânicos
adestro feras aquáticas
domo seres abissais
e a cabeça a imaginar
mar...
os olhos no horizonte
o dia a noite o dia
uma história de magia
e a cabeça no mar...

a imaginação é mais atrevida
que a imagem.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

máscaras




o melhor de arrancar a máscara
é descobri-la igual à face
pois alma não tem cópia
caráter não tem gêmeo
e a vida é única...


o melhor de tirar a máscara
é descobrir-se íntegro e 
maravilhosamente nu.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Hai-kai de Carnaval



Quem vestiu junto a fantasia
Sabe e vive
O tamanho de cada pequena alegria


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

da sabedoria




quisera ser coruja,
ter seus olhos
sua sobriedade
sua paciência
sua sabedoria


quisera aprender com a natureza,
ser o observador silencioso
a síntese e o contexto
o artesão dedicado
o aprendiz incansável


quisera entender os homens,
quimera...





sábado, 11 de fevereiro de 2012

do desejo



sobe pelo caule reto do eucalipto
seiva: alimento, sabor e perfume
alcança as folhas e ao balé do vento
dançam odores sensuais e verdes


tal qual os mais desejáveis momentos
o sol penetra entre os ramos
e faz amor com o fim da tarde...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

dos amantes




o estado é alfa
a versão é beta
os raios são gama
mas é no delta do seu rio que eu
mergulho, afundo
penetro e me afogo
como se fosse o mais grego
dos amantes latinos...


quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

caras e boca




teu riso de escárnio
é meramente ilustrativo
não faz prova
não garante
não é fiel
enfim...
teu riso de escárnio
é simplesmente risível

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

carta náutica




onde é o norte das tuas pálpebras?
por onde alcanço a maré das tuas águas?
qual a rosa-dos-ventos que te enfeita os cabelos?
como transporto meus pensamentos aos teus?
qual a latitude das tuas paragens?
quando a âncora da minha nau te prenderá?
por quais rotas alcanço a tua direção?


sete mares, sete questões
sete possibilidades ímpares
sete vidas, sete vezes
sete emoções...


quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

náufrágo




sou náufrago em meu próprio barco.
soltei amarras,
perdi o rumo,
singrei um certo mar incerto...
incerto de mim.
abracei o horizonte e por ele fui abarcado, envolvido, desesperado.
descobri:
o horizonte é imenso,
o horizonte é maior que meus braços,
o horizonte é uma linha imaginária na minha angústia náufraga.
minhas cartas náuticas respingam dúvidas.
corais cortam meus pés à procura de um sangue vivo.
criaturas abissais perseguem o que resta de esperança em mim.
a ordem e a desordem giram caos.
redemoinhos, corredeiras, marés, repuxos.
não há balsa.
não há boia.
não há vida impune.
sobreviver é preciso.
eu preciso sobreviver .