quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

da simplicidade




cantar de pássaros 
chuva no fim da tarde
jabuticabas abraçadas ao tronco
abacate caindo de maduro
caminhar na sombra
sorrisos sussurros sementes
pão quente a toda hora
carona de amigo
bife com batatas fritas
bom humor
água fresca
roda gigante
entardecer na praia
beijo na boca
cinema cinema cinema
bilhete de amor
curativo no joelho
festa de aniversário
carinho de mãe
espirro arrepio soluço
sorvete de limão
cheiro de alfazema
fotografias de família
fim de semana de sol
música música música
pergunta de criança
presente de namorada
recado na porta da geladeira
flor do campo em ramas
passar a noite entre amigos
ver o sol nascer na rua
e então...
dormir na santa paz do poema escrito.


2 comentários:

Andrea Moraes disse...

suave...
doce...

Batom e poesias disse...

O "dormir na santa paz", além de ser do poema escrito, é a simplicidade mais complexa de todas...

Saudade.
bj

Rossana