sábado, 5 de janeiro de 2013

Ludus




Desenho personagens, crio brinquedos, 
Trilho tabuleiros, traço trilhas,
Invento jogos, formulo regras,
e armadilhas e dinâmicas e ludos.
E poemas.
Alinho palavras, alinhavo conceitos.
Misturo letras como quebra-cabeças.
A primeira pessoa do singular.
O criador.
No plural, as criaturas.
Filhotes. Rebentos. Crias.
Planetas. Estrelas. Luas.
Escritos. Rascunhos. Laudas.
No princípio era o vácuo.
Depois veio o som.
Nasceu música. 
No princípio era o Verbo.
Depois veio o verso.
Nasceu poesia. 
Pedido. Vontade. Desejo. Apelo.
O rito. O roteiro. A rima.
O milagre. A falta. O labor.
Filhos da Terra, cantai.
O joio. O trigo. O jugo. A luta.
A liberdade sílaba a sílaba.
O alimento naco a naco.
A cilada. A queda. A odisséia.
Mortos. Por todas as casas.
Muros. Arrimos. Quedas.
Paredes. Móbiles. Sepulcros.
Uma fenda aberta a faca:
Cegueira. Surdez. Mudez.
Nudez.
O rei está nu. 
O rei caiu. 
O rei morto.
O rei posto.

Na imperfeição, no erro, na falha
geodésica do caráter humano,
o jogo tem que continuar.

Nenhum comentário: