sexta-feira, 9 de maio de 2014

Da ignorância



Minha casca descasca.
Pouco resta do entender.
Quando crescer quero ser.
O mundo tão longo, o mundo tão curto.
O homem tão grande, o homem estreito.
Minha casca descasca.
Insiste em desnudar a ignorância.
Coleciona algarismos e letras.
Violenta a violência virulenta.
Reclama e clama, pudor e clamor.
Minha casca descasca.
Escamas colhidas no tempo.
Superfície rugosa, uso e abuso.
Pele inventada, improvisada lima.
Falta aprender e minha casca descasca.



Nenhum comentário: