terça-feira, 20 de maio de 2014

Das asas



Teimo em voar
Nem Ícaro, nem Mercúrio
Uma teimosia aérea
Quase persistência
Por ares lúdicos
Cantares, imaginares
Ares que me fazem teimar.
Teimo em voar
Nem homem, nem pássaro
Um sonho pronto
Um salto, um gesto
Aberto em voo
Vida e obra dos poetas,
dos lunáticos e dos teimosos.

Nenhum comentário: