quarta-feira, 14 de maio de 2014

Dos anéis de Saturno

Crédito da Imagem: NASA/JPL/University of Colorado

Ando Saturno e com suas rimas.
Noturno e soturno
-- que no dicionário é silencioso,
tristonho, taciturno e
lúgubre e medonho.
Ando Saturno em busca de seus anéis.
Ou no centro das atenções.
Decepções concêntricas e excêntricas.
Que lua insossa eclipsa a inteligência...
Que sol estúpido aluga sua estultícia...
Ando assim Saturno com seus céus.
Ares nunca dantes navegados.
Areado e sublimado, adjetivado.
Não é a noite. Não é o gelo. Não é o vácuo.
Ando Saturno e convicto.
Quantos Narcisos tantos Édipos.
Vai além dos olhos o olhar.
Em minha cegueira celeste, 
ando Saturno e Plutão.


Nenhum comentário: