segunda-feira, 27 de julho de 2015

Brincar




apenas fecho os olhos e sonho:
a cegueira súbita leva-me além
percorro um espaço incontável
toco os corpos celestes com meu corpo etéreo
faço sexo com o infinito
sugo em explosão e explosivamente sou sugado
vertido boom
transformo o caos
me assusto
me perco
grito!
acendo a luz
e nunca, nunca mais
brinco de deus


Nenhum comentário: