quarta-feira, 12 de agosto de 2015

A peça que falta



De todos os lados falta um pedaço
Falta uma peça do quebra-cabeças que é você
Falta um nariz uma boca um joelho uma verruga
Falta até uma estria filha da cocacola
e uma atadura e outra cicatriz falta
Falta o dia útil o sábado o domingo e os feriados
Falta a vergonha e a sem-vergonhice gritada da noite
Falta a toalha jogada no chão e o jornal desfolhado na cama
Falta a falta que ama e o amor que faz falta
Falta aquela música e falta a vitrola velha no canto da sala
Falta o vento que não venta a cortina que descortina
Falta o riso o pranto o canto a cena aberta e o blecaute
Falta o frio da geladeira e o calor do forno 
Falta o fogo e o afago e a fuga e a fuga falta
Falta a fome da meia noite e feira do meio dia
Falta a conta fixada no quadro e o quadro torto na parede
Falta a foto e o fato falta a fita e a festa falta festar
Falta a imaginação e falta imaginar
Falta o suco de beterraba e a sopa de feijão
Falta a luz e falta a lanterna e falta pilha e falta vela
Falta a caderneta colorida e o recado na fechadura
Falta a unha que arranha e os cabelos na pia
Falta o bocejo o sonrisal o café fervente e o espelho com sono
Falta na face uma espinha e na espinha o arrepio
Falta a faca afiada e a fé cega falta 
Falta poesia e palavras-cruzadas
Falta o ontem o antes de ontem o nunca falta e o jamais
Falta uma peça do quebra-cabeças que você foi 
De todos os lados o pedaço que faltava e nem falta mais faz




Nenhum comentário: