domingo, 16 de agosto de 2015

Arte cênica


O teu humor não acordou hoje.
E eu dei risada disso.
O que para você é pesadelo
para mim é comédia;
o que para você é sonho
para mim é realizar.
Não é tragédia. É farsa. É farsante.
A fortuna é uma atriz coadjuvante.
O papel principal é meu.
O cenário é um quarto escuro.
Tenho um amor fosforescente no palco.
São tantos e muitos e santos personagens.
Um praticável em forma de estrela guia a cena.
Da ribalta, um fio de luz faz brilhar um dente de ouro.
A boca do palhaço é galáctica.


Nenhum comentário: