quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Passeio pelo Centro de São Paulo





Da Boa Vista chego ao largo São Bento.
O mosteiro me envolve,
marca um quarto para qualquer hora.
Procuro um motivo para São João.
Prefiro o viaduto do Chá.
A prefeitura está. A Light não está.
Ao lado a ladeira da Memória está.
À urina cheira a praça Ramos de Azevedo.
Ainda é cedo.
Evito a Sete de Abril e sua lembrança.
Eu, criança.
Quando chego à República encontro-me.
Inevitavelmente Caetano de Campos.
Sou mapa. Sou passado. Sou amigo.
O ônibus 7272 vai subir a Consolação.
Comigo.








Um comentário:

Nice disse...

Amei seu texto, é reviver o que eu sinto quando vou a São Paulo (o que já faz algum tempo)...Encontro-me também, na Praça da República, Caetano é o que sou. Parabéns. Descobri que moramos na mesma cidade, enviarei mensagem pelo Face.