domingo, 23 de agosto de 2015

Quadro-negro


Deixei um recado no quadro negro
pintado na parede.
Você leu?
Não são belas palavras.
São palavras certas.
Não é batom no espelho,
seu mural de reflexos tardios.
Não são caretas caracteres rabiscos 
rascunhos garatujas no vidro do chuveiro
que desaparecem ligeiros.
Ouso dizer que essas palavras são raios de giz
que destilam verdades e mentiras,
quaisquer que sejam as linhas,
livres para dizer que amam.
Ou não.


Nenhum comentário: