quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Sem pé nem cabeça



Sem pé nem cabeça
Jogado o jogo foi
Por onde começa
Também termina
Início e fim se encontram
E se perdem em si
Mesmos
Mesmo que o tempo voe
-- feito falcão
Mesmo que a vida corte
-- feito navalha
Sem cabeça nem pé
O que antes era
Agora não mais é
Tarde feito arrependimento
Eterno como recomeço


Nenhum comentário: