quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Sempre às quartas-feiras



Era a noite que ela não vinha.
Era a noite só.
Era a noite sem poesia.
Era a silenciosa noite.
Era só a noite de quarta-feira.
As outras não.
As outras eram iguais.
As noites de quarta-feira
eram as noites de nunca mais.


Nenhum comentário: