quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Dos alertas



Eu não durmo cedo e
vivo de olhos abertos.
Meus cantos são espertos e
meu silêncio é alerta.
As paisagens me fascinam
e nem assim me ganham.
As histórias me encantam
e nem sempre convencem.
Se vou a pé, foco na estrada.
O inimigo é sombra e luz.
O amigo é luz e sombra.
Se miro, o alvo é certo
e se erro, o erro ensina.
Uns me chamam destino.
Outros dizem tenho sina.
Faço versos por precaução.
Sou poeta por perdição.


Nenhum comentário: