quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Do norte



O norte do norte
do lado que a sorte esqueceu
da face que a morte beijou
do sangue que o corte escorreu.
É o mesmo norte do norte
da palavra que o porte ergueu
do braço que o suporte amparou
da batalha que o forte venceu.



Nenhum comentário: