quinta-feira, 5 de novembro de 2015

Pela porta



Entrou pela porta
-- e poderia ter entrado pela janela.
Era o espaço ocupado.
Sambou com bossa
-- como sambaria um tango.
Era a música do ar.
Contou-me histórias
-- e teria mentido verdades.
Era o último capítulo.
Foi embora
-- fosse verbo o eterno.
Era todo ternura e pela porta nunca mais.


Nenhum comentário: