sábado, 7 de novembro de 2015

Retrovisor



Quem me dera ter sabido
que a perda maior não fora a agenda
levada entre jornais velhos e velhas revistas

Quem me dera ter sabido
que não seria um poema perdido
a matar a poesia

Quem me dera encontrar
no baú dos antigos
a lembrança sem falta
a presença sem saudade
o beijo sem vergonha
o amor sem fim


Nenhum comentário: