domingo, 20 de dezembro de 2015

Das janelas abertas



Cada janela guarda sua verdade.
Sua história e seus segredos.
Cada janela mostra esconde o desejo.
Por cortinas e meias-luzes.
Cada janela tem seus medos.
E defesas e tramelas e venezianas.
Cada janela mira cúmplice.
Com olhos que só as janelas podem abrir. 



Nenhum comentário: