terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Depois da chuva



Depois da chuva
as gotas colam nas pétalas
como lágrimas na memória.

Depois da chuva
os espinhos brilham contra a luz
como lâminas na garganta.

Depois da chuva
um cheiro de terra paira
como aviso no ar.

Depois da chuva
somos o rescaldo da verdade
e o barco no meio-fio.

Depois da chuva
os heróis mais humildes
nos emprestam seus mantos.

Depois da chuva
ainda há fôlego para um poema
e um café quente, forte e amigo.


Nenhum comentário: