segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Do desterro



Nossa Senhora, valei-me.
Que o solo se perde a meus pés.
Que as nuvens se soltam dos céus.
Que os homens se perdem.
Outras terras não conheço.
Outras marcas não ganhei.
Outros dias, outros dias.
De desterro e de vazio.
Valei-me, Nossa Senhora.


Nenhum comentário: