segunda-feira, 18 de abril de 2016

Balas de hortelã




Inocentes gotas de açúcar
e sabor de ontem.
O celofane verde e amarelo
como bandeira.
Que saudades das balas de hortelã
e dos tempos da pureza.
Era poesia, apenas poesia.



Nenhum comentário: