domingo, 10 de abril de 2016

Outonos verbais




Outonos verbais.
Memórias enlatadas.
Películas, diapositivos, cromos.
As imagens ganham palavras.
Cenários e gramáticas.
Polissílabas escusas.
Do outro lado da câmera
um olho uma vértebra um verbo
um filtro a escolher o roteiro da vida.
Como são longas as histórias mal contadas.
Como são reais as nossas ficções.



Nenhum comentário: