segunda-feira, 23 de maio de 2016

Biografia




Quem sou eu, quem sou?
Não sou outro senão eu.
Sou eu, louco.
Sou eu flutuando.
Sou eu só, só sou eu.
A dúvida. A incerteza.
A procura. A investigação.
Sou a pergunta muda.
Sou a mudança falível.
Sou terno. Sou tal.
O amanhecer. O poente.
O minuto. O momento.
Sou tempo. Sou sal.
Sou a estátua viva.
Sou a vida estancada.
A luta. A ação.
A traição. A revolta.
Sou o indício de violação.
Sou pausa. Sou pauta.
Sou o sinal de alerta.
O plantio. O regar.
O colher. O fruto.
Sou medida. Sou toada.
Sou à toa qual perdida.
Sou o espelho da noite.
A missão. A emoção.
A regra. A razão.
Sou parte. Sou pedaço.
Sou a migalha e o trocado.
Sou rascunho. Sou rabisco.
O olhar. O tato.
O olfato. O paladar.
Sou a resina moldada.
Sou modelo premeditado.
Sou um tanto irregular.
A semente. A mazela.
A maizena. Araruta.
Sou a vadia, a puta.
Sou a esquina e a mentira.
Sou a verdade na sarjeta.
O bardo. O risco.
O fardo. Francisco.
Sou alguma experiência.
Sou demônio. Sou ciência.
Sou a demência da fé.
A impaciência. A intolerância.
A trapaça. A cachaça.
Sou o corte do pulso.
Sou o pulsar da vitrine.
Sou objetivo e direto.
Não sou outro senão eu.
O dia que não veio.
A noite que não foi.



Nenhum comentário: