sexta-feira, 3 de junho de 2016

Algemas




Com a linha do horizonte teci amarras.
Algemas imaginárias.
Prendi os sentimentos pelos pulsos.
Talvez mais forte do que devia.
Arranhei peles sensíveis.
Rasguei cicatrizes invisíveis.
Transformei irreal amor em ódio verdadeiro.
Quis colher estrelas. 
Quis mudar o mundo.
Quis riscar o fósforo.
Tanto, que tanto perdi.
Restou a linha do horizonte.


Nenhum comentário: