sábado, 25 de junho de 2016

Do adeus




Falta uma pedra no tabuleiro.
Há homens sem alma.
Nem todo dia é santo.
Tem um pecado no prelo.
Vendem-se pães e peixes.
A caneta desidratada.
O caderno espiral.
Pela janela as cortinas acenam.
Os cães ladram.
Há ratos pela casa.
O pranto é provisório.
Uma chave pende na porta.
Fui embora quarta-feira. 



Nenhum comentário: