quinta-feira, 7 de julho de 2016

Julho frio




Julho frio.
Poemas de inverno.
Curtos. Encolhidos. Tímidos. Retraídos.
O sol da tarde consola. E parte, cedo.
A noite traz estrelas geladas.
A lua se agasalha em nossos olhos.
A via láctea posa para o pintor celeste.
A moldura infinita.
Onde a lágrima congela e a alma se espelha.
A imagem triste de um rio.
Julho frio.



Nenhum comentário: