terça-feira, 9 de agosto de 2016

Bolero




Tu sabes muito bem
o que fizestes
e o que deixastes de fazer.
Tuas palavras, 
tua ação,
teu pecado e omissão.
Teu ruído pela soleira,
teu rastro de perfume,
tua fuga sorrateira.
Tu sabes muito bem
o que fizestes
e o que deixastes de fazer.
Tuas mentiras,
tua armação,
tua dissimulação.
Tua maldade,
teu vazio,
tua imensa falsidade.
Tu sabes muito bem
o que fizestes
e o que deixastes de fazer.



Nenhum comentário: