domingo, 14 de agosto de 2016

Sem sombras




Por onde anda a luz, surgem sombras.
Sombras quase humanas projetadas nos muros 
Miragens. Borrões. Rascunhos. Espectros. 
Linhas e formas lembram alguma dor.
O passado desconhece remédio.
Apago a luz. As sombras somem.
Nem tudo é triste.
Os pesadelos podem ser divertidos.

Nenhum comentário: