domingo, 18 de setembro de 2016

Antologia




Antologia.
Guardados e guardanapos.
Cadernetas e calendários.
Perdidos e achados.
O poema não cabe na memória.
O verso extraviado pela vida.
Roupas velhas, velhas respostas.
Para que colecionar dores?
Ou livros? Ou discos?
As fotografias perderam as cores.
A minha música não toca mais.
Nem mesmo há música.
O cinema, fechou.
Virou um templo.
Depois, mercado.
Hoje é academia.
Também fecharam a biblioteca.
O teatro, a livraria.
Guardei num bolso toda poesia.
Antologia.



Nenhum comentário: