quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Do tempo da primavera




Chegue ao seu tempo, primavera
Não se perca sob a hera que cobre o muro das vergonhas.
Nem se deixa levar pelo ufanismo herege.
Chegue ao seu tempo, primavera.
Que a esta era não pertence adiar as flores.
Nem virar a ampulheta das areias herméticas.
Chegue ao seu tempo, primavera.
Como era do seu feitio antes dos dias rotos.
Nem que a isto dê sentido a hipocrisia.
Chegue ao seu tempo, primavera...  



Nenhum comentário: