quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Traquitana




Ando de poucas palavras e de poucos amigos.
Palavras antigas sussurram ao meu ouvido.
Formam cenas. Desfilam sabores. Trazem cheiros.
A quitanda com suas frutas maduras e coloridas.
A lojinha e o seu balcão de vidro e escura madeira.
A doceira com gosto de chantilly azedo e falsa cereja.
Na esquina a traquitana solta fumaça sobre a memória.
Ando de poucos amigos e de escassas palavras.



Nenhum comentário: