terça-feira, 11 de outubro de 2016

Singular e plurais



Sou um pouco do muito e não sou nada.
Quando sou multidão não sou ninguém.
Talvez seja surpresa e jamais rotina.
Tantas palavras e nenhuma definição.
Mais do que algo sou possibilidades.
Mais do que possível sou algo que pode ser.
Ou não ser.
Além das questões existenciais e aquém do existir.
Tantas palavra singulares e nunca seremos plurais.


Nenhum comentário: