sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Qualquer dia




Qualquer dia, quem sabe, nos vemos.
Cruzamos na rua ou embarcados no mesmo voo.
Talvez sem percebermos, talvez sem tempo.
Qualquer dia nos cruzamos.
Na fila do banco ou na porta do paraíso.
Sem palavras e sem ação.
Nenhuma surpresa, nenhum desespero.
Qualquer dia nos perdemos.
E, sem querer, nos encontramos.
O que pensar, o que fazer, então?
Qualquer dia. Nem sabemos.

Nenhum comentário: