sábado, 4 de março de 2017

Tão pouco



Tão pouco sei.
Não sei se você existe.
Nem sei se existiu.
Não sei se existiu você.
E se nem isso sei,
se tão pouco sei.
que dizer dos passos que vi na areia.
Não sei se eram seus.
Nem sei se eram passos.
Nem sei se foram. 
Foram-se.
Como se foram palavras, perfumes, presença.
Foram palavras?
Eram perfumes?
Houve presença?
E assim, 
sem saber do tão pouco que sei
-- ou não sei --,
que nem sei se perdi as palavras, 
se esqueci o perfume,
se não segui as passadas.
Tão pouco passado. 


Nenhum comentário: