quarta-feira, 24 de maio de 2017

Manchester é aqui




Manchester é aqui.

Os terroristas do ataque à Arena Manchester são iguais aos terroristas do Estádio Nacional Mané Garrincha. O que os une é o princípio do terror: a covardia.

Há diferenças. 

Os terroristas de Manchester são alopatas. Atacam pelas consequências, em nome de uma causa. Não se importam com a auto-imolação e eliminam indefesos e inocentes sem se preocuparem se vão - e devem ir - para o inferno. Não têm um rosto, não têm personalidade.

Os terroristas do Mané Garrincha são homeopatas. Atacam as causas independentemente das consequências. Não se auto-imolam pois a covardia é extrema. Igual aos seus pares estrangeiros, matam inocentes sem se preocuparem se vão - e devem ir - para o inferno. Só que aos poucos, no dia-a-dia, ininterruptamente. Nas filas dos hospitais, por balas perdidas, na escola que não existe, na falência múltipla do Estado por corrupção, roubo, furto, assalto, prevaricação, cobiça, ignomínia. São presidentes, governadores, empresários, senadores, ministros, banqueiros, deputados, executivos, secretários, sindicalistas, "operadores", prefeitos, doutores, excelências, cambistas, ladrões, falsários, comandantes e comandados; terroristas, enfim. Têm RG, CPF, CNPJ, não têm limites.

Os terroristas da Arena Manchester e os terroristas do Mané Garrincha exterminam homens, mulheres, crianças, velhos, adolescentes, nascituros. Aniquilam famílias, vidas, sonhos, carreiras, esperanças, o presente e o futuro. Eles não podem vencer.


Nenhum comentário: